Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 30 de março de 2011

Promotor quer rigor nas entradas e saídas de alunos das escolas.


O promotor quer o comprometimento de toda a sociedade no combate
ao tráfico de drogas na cidade

Da redação
Na tarde do dia 25/03, o promotor de Cajuru, Rodrigo Otávio Frank Araújo, reuniu-se com as dirigentes das escolas Geraldo Torrano, Messias da Fonseca e Galdino de Castro para tratar de problemas relacionados à saída e entrada de alunos das três escolas.
Além das dirigentes escolares, também participaram da reunião o comandante da Polícia Militar, erepresentantes do transporte escolar rural e Conselho Tutelar.
Ocorre que muitos alunos chegam na escola antes do início das aulas e ficam matando tempo no entorno ou no quarteirão, e com isso acabam sendo expostos à ação, principalmente, de traficantes da cidade.
O promotor colocou às dirigentes que todas as escolas deverão manter os portões abertos e um funcionário orientado para receber os alunos vindos da zona rural, imediatamente, no momento da chegada, os alunos deverão sair de dentro do ônibus direto para dentro das escolas e cada parte terá sua responsabilidade neste processo, ou seja, o monitor do transporte terá a responsabilidade de entregar os alunos e do portão para dentro, a responsabilidade será das escolas.
Todos os dias, nos horários de entrada e saída, a Polícia Militar e o Conselho Tutelar também marcarão presença nestes locais e qualquer presença que não tenha ligação com a vida escolar será abordada.
O promotor esclareceu também que já tem um retrato da evolução dos problemas da cidade, e afirmou que hoje o principal problema de Cajuru está diretamente ligado ao tráfico e ao consumo de drogas, por isso cobrou um compromisso das dirigentes, que por sua vez também deverão cobrar de seus funcionários, que em muitos casos também usam da “lei do mínimo esforço”.
Para os alunos que insistirem em fugir da escola, a orientação é de que a escola deverá imediatamente acionar o Conselho Tutelar e PM que entrarão em contato com os pais ou responsáveis pelos estudantes fujões.
No final, decidiu-se uma série de medidas a serem tomadas que são: as escolas criarão um sistemas de controle de entrada e saída através de crachás ou carteirinhas, os monitores dos ônibus de transporte escolar rural terão a responsabilidade de entregar os alunos para o responsável da escola, a viatura da PM e Conselho Tutelar deverão marcar presença nas saídas e nas entradas, a rua deverá ser isolada para impedir o trânsito, todos os pais de alunos da cidade serão comunicados para que exijam de seus filhos que dirijam-se para suas residências logo após a saída da escola, medida esta para alertar os pais, pois muitos alunos que residem na cidade permanecem ao redor da escola mesmo após o término das aulas e acabam ficando também expostos à ação dos traficantes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário