Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Jabuticabeira centenária foi transplantada da cidade para a fazenda


Jabuticabeira centenária foi transplantada da cidade para a fazenda

A cova em torno da jabuticabeira, com aproximadamente 1 metro de profundidade, e à direita, com a ajuda de um muque, o transporte
até a nova moradia
Da redação
O jabuticabal onde se encontram dezenas de jabuticabeiras Sabarás está localizado no final da rua Capitão João Batista Ferreira, no bairro do Cruzeiro, e saída de acesso para a Expogal. A área que é de propriedade da família Sampaio Moreira, até o final deste ano, irá se transformar em mais um empreendimento imobiliário da cidade, ou seja, um novo loteamento.
Sabendo da intenção dos patrões que são proprietários da área, Paulo Sergio Espíndola resolveu então presenteá-los transplantado para a sede da fazenda algumas jabuticabeiras que, segundo ele, , adoçaram-lhe a boca quando ainda era criança.
Foi um trabalho árduo, contou-nos Paulo Sérgio, que lentamente e com muito cuidado, para não atingir as principais raízes, foi cavando utilizando-se de um enxadão, ao redor da árvore, em forma de uma taça, até chegar na raiz principal. Sómente este trabalho durou aproximadamente cinco dias, e o cuidado foi tamanho que até a posição da jabuticabeira com relação ao nascer e ao pôr do sol foi marcado para que no momento do replantio, ela fosse colocada no mesmo sentido.
Enquanto trabalhava na escavação do em torno da jabuticabeira, simultaneamente, Paulo Sérgio preparava outra cova lá na fazenda para receber a árvore, tudo muito bem calculado, nos mínimos detalhes, principalmente com relação às medidas de largura e profundidade, inclusive com as mesmas características de solo.
O GRANDE DIA
Finalmente, depois de longos e cansativos dias de trabalho, chegou o grande dia de retirar a jabuticabeira do local em que ela estava desde o início do século passado, ali ela passou mais de cem anos produzindo jabuticaba e alegrando a vida de dezenas de gerações de crianças, é difícil encontrar algum cajuruense com mais de 80 anos que ainda não provou o sabor do fruto produzido por aquelas jabuticabeiras.
Para a retirada e transporte, foi necessária a utilização de um caminhão equipado com um muque (um guincho capaz de sustentar muito peso).
A importância deste trabalho do Paulo Sérgio, é que na medida com que o tempo vai passando, espécies frutíferas como estas jabuticabeiras, vão ficando cada vez mais raras, afinal para começar a produzirem, elas levam em média de 10 a 12 anos, e as que restam, vão aos poucos se transformando em madeiras para alimentar fornos de padarias ou cerâmicas.
Do local onde estão as jabuticabeiras centenárias, irá surgir em breve mais um empreendimento imobiliário e para quem manifestar interesse em alguma destas árvores, o Paulo Sergio esta à disposição para conversar.
Um outro detalhe interessante e curioso deste local, e que somente agora tomamos conhecimento, é que ao lado das jabuticabeiras, também existem algumas outras de uma espécie diferente. De acordo com o Paulo Sérgio, elas foram trazidas da Itália pelos avós de seus patrões. Elas são mais altas e produzem um fruto azedo e extremamente ácido e eram usadas antigamente para se produzir vinho e vinagre. Este é também um outro detalhe importante desta história, e quem sabe alguém se interesse em adotar estas espécies diferentes para produzir vinho e vinagre em Cajuru.

Nenhum comentário:

Postar um comentário